sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Ironia

Belas flores roxas sobre a terra.
Que perfume exalam as azaléias!
Quis viver num jardim repleto delas
Mas o mundo é de concreto
E não de terra.
As flores sorriem no odor suave de suas pétalas.
Mal eu viro e o vento acaricia a pele delas.
Que cor é a cor de suas astes!
E verdes!
Tão verdes são as folhas na lapela.
Espinho não vi nessas flores.
Nem se esconderam,
Nem arrancados foram.
Perfeição são essas flores
Que jazem junto à lápide
Do recente morto abaixo delas.

(Stella Araujo)

Nenhum comentário:

Postar um comentário