segunda-feira, 11 de abril de 2011

Fim

Meu corpo queima ao sabor dos sonhos.
Meus pensamentos concretizam-se internos.
Quando eu, querido que me lê, deixar meu corpo,
Pois sou muito mais esse poema que carne.
Quando não mais for residente deste casca,
Essa que me limita e me adoece.
Faça da metáfora fato!
Queime-me e faça-me pó.
Sou eu quando meus pensamentos estão em mim.
Quando esses pensamentos,
Lagartas em minha mente,
Tomarem asas e voarem coloridos
Queime-me leitor de mim!
E então serei como a página queimada
Que não mais existe,
Mas que já teve a mensagem lida.
Jogue-me no ar,
Que como Deus não vejo,
Mas sinto me tocar.

(Stella Araujo)

2 comentários:

  1. Oii..
    tudo bem?

    to passando pra deixar o end.
    do meu outro cantinho,
    pra vcs conhecerem ele tbm!!

    beijoos
    http://momentosdapathy.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Nossa, que teeextoooo!!
    Ameeei *-*
    Você está escrevendo muito bem, viu!?
    Demais!
    Tem selinho pra você no meu blog.
    Veja lá!
    Saudades, beijos enormes ;*
    Teu blog está lindoooooo!!

    ResponderExcluir